Quais as diferenças entre Aparelho Convencional e Aparelho Autoligado?

Se sonha alinhar os seus dentes e recuperar um sorriso harmonioso, colocar um Aparelho Ortodôntico pode ser a solução que precisa.

O Aparelho Convencional ou o Autoligado podem ser ideais para quem procura opções fixas, movimentando os dentes de forma gradual. Também permitem ambos corrigir a posição dos dentes e disfunções na oclusão, eliminando problemas que daí advêm, mas fazem-no de forma diferente.

Caso pretenda saber mais sobre cada um deles, chegou ao sítio certo: hoje vamos explicar as maiores diferenças e partilhar as principais vantagens e desvantagens.
 

Como funciona um Aparelho Convencional?

Este é o Aparelho Ortodôntico mais utilizado e conhecido, identificado pelo seu aspeto metálico. É composto por brackets fixados na parte externa de cada dente, arcos e bandas de metal e elásticos. São estes elásticos que mantêm os outros componentes no lugar de forma a causar as forças necessárias à deslocação dos dentes.

 

Ao longo do tratamento, nas consultas de manutenção (de modo geral de periocidade mensal), se necessário fazem-se ajustes na pressão que o Aparelho exerce sobre os dentes, adequando as forças aplicadas às necessidades dos pacientes para potenciar o tratamento.
 

Porquê optar por este Aparelho?

O Aparelho Fixo Convencional é associado a uma taxa de eficácia elevada, com resultados de sucesso e duradouros, sendo, por isso, muito utilizado até em casos complexos de transformação dentária.

Além disso, por norma, é uma das opções mais económicas no que refere ao custo da própria estrutura.

Por último, e apesar de incorporar uma estrutura metálica visível, hoje em dia é possível escolher opções mais discretas, como por exemplo os brackets e elásticos transparentes, beneficiando o efeito estético.

 

 

Quanto às desvantagens…

Apesar dos aperfeiçoamentos dos Aparelhos Convencionais, tornando-os o mais confortáveis possível, é verdade que ainda podem trazer algumas desvantagens.

Em primeiro lugar, como os elásticos exercem forças intensas nos dentes, principalmente quando são ajustados, é possível sentir algum desconforto, que pode até causar dificuldades na alimentação.

Outra desvantagem diz respeito à higienização oral – com toda a estrutura metálica, pode ser difícil alcançar certas zonas da boca. Além do mais, esta rotina pode ser mais demorada, já que existe a necessidade de limpar o Aparelho com elementos próprios, como escovilhões, além do uso de escova e fio dentário.

De modo geral, também exigem visitas muito regulares ao dentista, seja para consultas de manutenção para substituição das estruturas do Aparelho ou em situações de urgência, caso alguma se solte, podendo provocar ferimentos na boca.

Além disso, e ainda que, como vimos, seja possível escolher componentes mais discretos, a estrutura metálica é sempre visível, podendo causar alguns constrangimentos estéticos.

Por último, estes Aparelhos Dentários podem levar à necessidade de extração dentária, por forma a criar espaço para que os dentes se alinhem.

 

O que é um Aparelho Autoligado?

Sendo, o mais comum, o Sistema Damon, criado por uma entidade inovadora e experiente (a Ormco), a principal diferença desta opção em relação aos Aparelhos Convencionais prende-se com o facto de dispensar os elásticos. Desta forma, os arcos metálicos são sustentados pelos brackets, que se encontram autoligados e com estruturas próprias para o efeito.

 

 

Esta ausência de elásticos é mais do que um mero detalhe: permite que a pressão e forças exercidas sobre os dentes sejam mais suaves e constantes.

Além do mais, por ser um sistema inovador e tecnológico, o Aparelho Autoligado permite que os arcos se moldem com o tempo, acompanhando as evoluções no alinhamento dentário. Por esta razão, também deixam de ser necessários tantos ajustes.
 

Por que razões o Aparelho Autoligado pode ser uma boa escolha?

Esta solução pode trazer muitos benefícios. Veja algumas das maiores vantagens destes Aparelhos Autoligados:

  • Podem encurtar o tempo de tratamento, em certos casos, graças à exerção de forças mais constantes e precisas que aceleram a movimentação dentária;
  • São mais confortáveis, pois a pressão é mais suave e a tensão menor;
  • Facilitam os cuidados de higiene oral – como contam com menos estruturas, há menos acumulação de restos de comida e de placa bacteriana;
  • Permitem consultas mais espaçadas no tempo e mais curtas, pois deixam de existir elásticos para trocar;
  • Evitam ferimentos na boca, dispensando consultas de urgência;
  • São mais discretos (e, se desejar, pode também escolher brackets transparentes);
  • Dispensam, na maioria dos casos, extração de dentes, já que permitem uma extensão maior das arcadas dentárias.

 

 

Como saber qual é o melhor Aparelho Ortodôntico?

Conhecer as diferenças entre Aparelhos pode ser importante, mas, sabendo que ambos apresentam benefícios, tomar uma decisão pode ser difícil. Qual será, então, o melhor?

 

No que respeita à duração do tratamento, um estudo de 2019 revela que, em certos casos, com o Aparelho Autoligado o alinhamento dentário é mais rápido, sobretudo em determinados dentes e nos primeiros meses do processo.

 

Mas, por outro lado, outra pesquisa indica que, em termos de eficiência, as diferenças entre o Aparelho Autoligado e o Convencional parecem ser pouco significativas.

 

Assim sendo, é tudo uma questão de perceber o que é melhor para o seu caso específico, tendo em conta as suas necessidades, características e preferências. Mas como descobrir? Com ajuda especializada que, com uma avaliação profissional, consegue indicar o melhor tratamento a seguir.

 

Este sim pode ser o verdadeiro segredo para um tratamento mais rápido e eficiente, em especial se tomar a decisão o quanto antes.

Se procura especialistas, saiba que a equipa da MEDWAY conta com uma vasta experiência no ramo ortodôntico, sendo capaz de fornecer um acompanhamento de excelência na direção dos resultados que deseja

Dr.ª Daniela Paiva
Diretora Clínica, Médica Dentista, Ortodontia e Odontopediatria
Anterior9 Dúvidas comuns sobre Aparelhos Ortodônticos
Seguinte4 Tipos de Implantes Dentários – quais as diferenças entre eles?